E preciso responder á altura! 


Estão repercutindo vários casos de agressões cometidos por skinheads/neonazistas em diversas partes do país. São casos idênticos, agressores sempre batem em alvos que não podem se defender. São ações feitas as vezes em dupla, grupo contra uma única pessoa. Depois de ocorrer a violência entra em cena comissões de direitos humanos com cantilenas, polícia em alguns agressores são até presos e depois soltos para responderem em liberdade aos crimes. Não há uma resolução punitiva rígida. O Estado coloca seu aparato judiciário apenas para ágil funcionamento quando se trata de crimes de natureza patrimonial, delitos contra a vida são atomizados, ainda mais quando se tratar de pessoas pobres, negras.  




Essa impunidade que possibilita uma atmosfera propícia para esses novos fascistas de fazerem essa onda de violência, baseada em intolerância é discriminação racial e social. Não poderá ser possível ver no Estado o interventor imparcial que colocará término a isso. E erro simplesmente depositar a responsabilidade sobre Estado é crer que tudo se resolverá, assim tão placidamente. Somente a ação direta, vai por cobro não adianta remediar com evocações sonsas sobre direitos humanos ou idílicos discursos que não leva a nada.  E preciso adequar-se a linguagem correspondente a que esses indivíduos sabem compreender. Em questão não se esta lidando com pessoas inocentes são pessoas conscientes do lado que escolheram e entendem a dimensão de suas atitudes. O Movimento Negro necessita dar uma resposta enérgica, contra movimento neonazista. Essa sim a única forma de fazer justiça é honrar as vitimas dessa escória brutal é a paralisando ''POR QUALQUER MEIO NECESSÁRIO'', lembremos dessa lição nós ensinada por Malcolm X.




Kassan 11/04/2013 

Um comentário:

Ronaldo Soares disse...

Totalmente de apoio! Que se criem milicias populares!